O nosso amor a gente inventa…

13 Jul

Quem os apresentou foi uma amiga. Agenor era o príncipe encantado da maioria das mulheres solteiras de meia-idade: pós-graduado, bem sucedido profissionalmente, bilíngüe, sorriso largo como os ombros e uma forma de se movimentar tão sensual quanto uma música francesa. Daniel era meia década mais jovem e uma década mais imaturo. Era músico e só por isso, já dominava o canto da sereia. Esbanjava jovialidade e aquele despojamento que nos dá vontade de viver da mesma forma. Carol, a amiga, desejava os dois da mesma forma, apesar de saber da homossexualidade de Agenor. Desejava que eles se tornassem amigos, já que um deles gostava muito de música e o outro precisava se tornar um pouco mais sério.

É desnecessário dizer que depois daquele primeiro olhar, tudo que eles não seriam era bons amigos. Agenor diz que nunca esquecerá quando, minutos após terem sido apresentados, Daniel toma o violão e canta Chico: “só que num relance seus olhos me chuparam feito zoom…” Daniel diz que nunca esquecerá o jeito como Agenor sorri após ajeitar seu cabelo com a mão, especialmente pelo perfume que surge naqueles momentos, como se saíssem do branco do seu sorriso.

Carol nunca soube desses detalhes. Na verdade, nem soube que eles se envolveram. Ficava muito feliz sempre que os via juntos, e se orgulhava de ter contribuído para uma amizade tão próxima. Nunca entendeu porque eles se afastaram. Daniel também nunca entendeu. Agenor disse que para ele não era mais possível suportar. Os dois sofreram, apesar de Daniel ter se sentido mais culpado por tudo.

No derradeiro encontro, Agenor disse que já tinha vivido e suportado agruras demais para manter uma relação como aquela, usando a expressão “no armário” para classificá-la. Daniel nunca esquecerá a forma como Agenor tratou com deboche seu argumento de que para ele era muito difícil assumir aquele relacionamento. Daniel segue a vida encontrando outros ‘Agenores’ e alguns ‘Daniéis’. Agenor diz que adora Chico Buarque, mas preferia ter ouvido Daniel cantar Cazuza.

Anúncios

3 Respostas to “O nosso amor a gente inventa…”

  1. Dani Julho 13, 2010 às 5:33 pm #

    Lindo, mas suas histórias deixam gostinho de quero mais, deveriam ter uma continuidade! Porque sempre deixa vontade de saber mais sobre… talvez seja essa a tua intenção, né! auhauahua
    ;*****

  2. LuDantas Julho 13, 2010 às 6:25 pm #

    nooossaa! esse conto eh mt bom Jaques.. estou aqui de boca aberta.. de tao belo..
    voce escreve muito bem! Parabens

  3. Thainá Setembro 30, 2010 às 7:37 pm #

    Cada um com suas histórias interrompidas =/ Mas, sempre é válido tentar, buscar, acreditar, envolver-se e envolver…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: